Remédios caseiros para candidíase

pomada no dedo

Remédios caseiros para candidíase. A candidíase é uma infecção que acomete muitos homens e mulheres nos dias de hoje, uma vez que essa doença é resultante de diversos fatores, como higiene íntima feita sem cuidados, alimentação inadequada, relações sexuais sem camisinha e também sistema imunológico desequilibrado. Assim, conhecer alguns remédios caseiros pode ajudar no tratamento da doença.

Essa infecção é provocada por fungos (Cândida albicans) e apresenta sintomas como: coceira na região íntima, sensação de ardência, dor, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco espesso. Nas mulheres, por exemplo, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

Ao notar esses sintomas, o paciente deve recorrer ao profissional médico que irá fazer uma avaliação e indicar o melhor tratamento para o quadro, de acordo com as possíveis causas. Ainda, vale lembrar que a candidíase não é uma DST (doença sexualmente transmissível), mas que pode ser transmitida no ato sexual.

Sendo assim, se você deseja compreender mais sobre o assunto e saber quais remédios caseiros que ajudam no tratamento da candidíase para ter uma boa saúde na região genital, continue acompanhando esse artigo e confira como preparar essas receitas.

Os tipos de remédios caseiros para cada caso de candidíase

comprimidos coloridos

Normalmente, quando a pessoa está com um quadro de candidíase e recorre ao médico, o tratamento é feito através de pomadas e medicamentos, como o Fluconazol e Itraconazol. Contudo, existem remédios caseiros que são muito eficientes no tratamento dessa doença

A candidíase, como já foi mencionado, se manifesta por diversos motivos e situações, confira a seguir alguns exemplos que podem servir de alerta para prevenir a doença:

  • Uso de antibióticos;
  • Pessoas com diabetes, devido ao índice de açúcar no sangue;
  • Períodos menstruais, em que é necessário estar atento com a troca dos absorventes e correta higienização;
  • Uso de anticoncepcionais;
  • Pessoas com HIV ou outro tipo de doença que pode comprometer a resistência do sistema imunológico;
  • Mulheres que estão grávidas;
  • Alimentação desequilibrada e rica em carboidratos;
  • Uso de roupas muito apertadas e de material sintético;
  • Lavagem da região íntima várias vezes ao dia;
  • Relações sexuais sem o uso de preservativo.

Principais causas que podem favorecer

mulher com a barriga vermelha

Esses são apenas alguns exemplos das principais causas que podem favorecer o aparecimento da candidíase. Se, por acaso, a doença se manifestar existem procedimentos que podem ser feitos em casa para controlar a situação.

Um exemplo muito eficaz, barato e sem efeitos colaterais para tratar a candidíase é o iogurte natural, que ajuda a eliminar os fungos dessa região, diminuindo a acidez e retomada do equilíbrio da flora genital.

Para os homens, o chá de uva-ursina é uma excelente opção para curar a candidíase. Para isso, é necessário 1 xícara de água quente e 2 colheres de chá da uva ursina. O preparo é feito em água quente, com repouso das folhas por 5 minutos, em seguida, com a ingestão do chá 3 vezes ao dia.

Já para quem contraiu a candidíase oral, uma das alternativas caseiras é o chá de poejo, que é feita com uma colher de sopa das flores ou folhas na água fervente. Também é possível utilizar essa solução para passar na boca com algodão quatro vezes ao dia, evitando com que os fungos se proliferem.

O iogurte que tenha lactobacilos vivos também é uma opção natural para o tratamento oral, uma vez que esses micro-organismos são capazes de restabelecer a flora bucal. Para isso, lave a boca com água morna e sal fazendo um bochecho e cuspindo na sequência.

Remédios caseiros que são eficientes

rx do corpo humano

Agora, confira a seguir outros exemplos de remédios caseiros que são eficientes para quem está com candidíase oral:

  • Aplicação de casca de romã: adicione duas cascas de romã em 250 ml de água fervente, em seguida, aplique com algodão nas feridas e deixe agir por 10 minutos, lavando em água corrente no final.
  • Aplicação de bicabornato de sódio: coloque uma colher do composto em 250 ml de água fervente e passe na boca com um cotonete ou algodão para curar as feridas.
  • Suco de abacaxi: uma alternativa agradável para ajudar no tratamento da infecção na boca e deve ser tomado de hora em hora.

Essas são algumas dicas de remédios caseiros que podem contribuir e muito no tratamento da candidíase. Mas lembre-se de que o acompanhamento médico é essencial para que as causas sejam identificadas e que o evento não se repita novamente.

Candidíase vaginal é um problema entre as mulheres

mulher com a calcinha abaixada

Candidíase vaginal, pode ser que você que está lendo isso já tenha sofrido e nem sabia. Isso porque um estudo recente afirmou que 75% das mulheres já tiveram pelo menos um episódio em suas vidas, ou ainda terão.

Não é pouco né? Mas calma, essa infecção fúngica é super normal, podendo atingir tanto a região íntima tanto masculina quanto feminina, podendo ocorrer em diversas faixas etárias e por uma série de motivos diferentes.

Por isso para que você fique atento aos sinais que seu corpo apresenta, saiba ao certo o que é a candidíase vaginal, como evitar e o tratamento, nós separamos 8 fatos fundamentais que você precisa saber sobre a doença.

  1. Como a candidíase vaginal surge e quais são as suas causas?

O fungo Cândida albicans é o responsável por essa infecção, sendo que normalmente ele já vive dentro do ambiente vaginal. Ele também é responsável pela versão oral da infecção.

A candidíase vaginal pode ser desencadeada por outros tipos de fungos e cepas do organismo, porém essa é a mais comum de todas. É tão comum e frequente que 3 em cada 4 mulheres já tiverem um episódio em toda a vida.

O motivo mais recorrente da candidíase vaginal é o começo da vida sexual, que pode gerar um desequilíbrio no pH vaginal, que pode alterar toda a incidência de fungos e bactérias nesse ambiente.

Um outro fator comum que desencadeia a candidíase é a alteração da temperatura dessa região, que pode favorecer o crescimento de organismo, juntamente com a umidade que pode ajudar.

Por isso esses 3 itens – umidade e temperatura, pH e acidez – precisam estar constantemente adequados.

  1. Quais são os sintomas da candidíase vaginal?

mulher com as mão na vagina sentada

Os sintomas são sempre extremamente claros e precisos, com vermelhidão, dor tanto na hora da relação quanto de urinas, corrimento branco parecido com nata, secura vaginal e uma coceira extrema.

  1. Como é feito o diagnóstico?

Em quase todos os casos as pacientes irão relatar as queixas e serem examinadas por meio de um Papanicolau, mas há também a possibilidade de realizar uma cultura de secreção vaginal, juntamente com uma pesquisa de fungos.

  1. Existem diversas receitas caseiras para a candidíase vaginal. Alguma funciona?

Como o pH ideal das vaginas e um pouco ácido, algo em torno de 4,5, muitas pessoas recomendam um banho de assento com leite fermentado e vinagre, já que a composição pode regularizar a flora vaginal.

O problema maior com essas receitas é que não existe um diagnóstico correto, e caso você tenha uma infecção bacteriana por exemplo, o leite pode adicionar mais organismos na região.

O mais indicado então é sempre procurar um médico para receber ajuda. Medicamento com cloridrato de benzidamina, muitos cremes especializados e antifúngicos orais são sempre eficientes.

Mas é fundamental que haja o acompanhamento e prescrição médica, já que algumas mulheres podem desenvolver uma candidíase vaginal mais resistentes, correndo maior risco.

  1. Quais sãos a formas de prevenção mais efetivas?

O ponto chave para a prevenção da candidíase vaginal é a higiene vaginal. O que muita gente acredita é que lavar a região demais ou com produtos íntimos pode ser a solução, na verdade é o problema.

A área precisa de uma abundância de água e sabões neutros, e também respirar, já que muitas vezes usamos roupas muito apartadas e que podem causar uma umidade maior.

Calcinhas de algodão são uma outra maneira de prevenir também, e evitar roupas muito apertadas e escuras em dias quentes, que podem abafar mais ainda.

  1. Que fatores facilitam o surgimento?

mulher triste

Os fatores que podem criar condições propícias para a infecção, como doenças imunodepressoras, como o HIV, a diabetes e tratamentos com corticoide, anticoncepcionais e antibióticos podem alterar o pH vaginal também.

  1. A depilação e os absorventes prejudicam?

Ainda são necessários estudos dentro da área, sendo que a depilação ainda não é vista como uma vilã que ajuda a causar a candidíase vaginal, apesar de prejudicar um pouco o pH normal da vagina.

Já os absorventes íntimos deixam a região abafada por muito mais tempo, e podem ajudar a proliferação de fungos. É sempre importante respeitar a intensidade do seu fluxo, e procura por meios de coleta mais eficientes, como o coletor menstrual.

  1. A candidíase vaginal está associada a outras DSTs?

A micose como a candidíase vaginal pode aparecer em outras infecções como a gonorreia, clamídia e outros, isso porque o desequilíbrio da região favorece o crescimento de fungos e bactérias.

Vencer a candidíase com 8 dicas importantes

mulher triste pensando

Vencer a candidíase é uma luta que acomete muitos homens e mulheres nos dias de hoje, uma vez que essa doença é resultante de diversos fatores, como higiene íntima irregular, alimentação não saudável, relações sexuais sem preservação e também sistema imunológico afetado. Então, conhecer algumas dicas e cuidados podem ajudar a evitar esse tipo de infecção.

Essa condição é provocada por fungos (Cândida albicans, geralmente) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco peculiar e espesso, nas mulheres, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

Ao notar os sintomas, o homem ou mulher deve recorrer ao profissional da saúde que irá fazer uma avaliação e indicar o melhor tratamento para o caso. Ainda, vale lembrar que a candidíase não é uma DST (doença sexualmente transmissível), mas que pode ser transmitida no ato sexual.

Sendo assim, se você deseja compreender mais sobre o assunto e contar com dicas para vencer a candidíase e ter uma boa saúde na sua região íntima, continue acompanhando esse artigo e confira como é importante os cuidados diários para evitar e tratar a doença.

O passo a passo para vencer a candidíase

mulher com as mão na vagina

A monolíase, como também é conhecida essa doença, se manifesta, em grande parte, quando o sistema imunológico está enfraquecido ou também quando ocorrem alterações no pH da região íntima. Normalmente, para vencer a candidíase o tratamento, de acordo com a orientação médica, é feito a base de pomadas ou medicamentos antifúngicos

Contudo, existem outras formas e cuidados que são indicados para curar e previnir que a doença se propague e aconteça novamente. Confira a seguir quais são essas dicas:

·         Se lavar só 1 vez por dia: não é necessário tomar diversos banhos todos os dias e fazer a limpeza da região íntima com várias lavagens, pois isso pode alterar o pH da região e provocar o surgimento da candidíase.

·         Limpeza: nas mulheres, o uso do papel higiênico deve ser feito de frente para trás, a fim de se evitar a contaminação pelas fezes. Outro cuidado importante é o uso apenas de sabão neutro e evitar o uso dos absorventes internos.

Os vestuários de material sintético

mulher com dor

·         Usar roupa folgada: os vestuários de material sintético e muito apertados são altamente prejudiciais para a circulação e transpiração do corpo, o que deixa a região íntima úmida e quente, ideal para os fungos. Por isso, dê preferência para roupas de algodão e que sejam leves.

·         Não ficar com a roupa molhada: na praia e piscina é comum ficar com o biquíni ou sunga molhados por algum tempo, contudo, procure secar o quanto antes a região íntima e fazer a troca de roupa, uma vez que a umidade contribui para a proliferação dos fungos.

·         Usar sempre camisinha: nas relações sexuais o uso do preservativo, além de ser essencial para evitar a transmissão de doenças mais sérias, também contribui para que a candidíase presente em um dos parceiros não seja passado ao outro.

Os alimentos com alto teor de açúcar

·         Evite comer açúcar e carboidratos: os alimentos com alto teor de açúcar, como os doces, por exemplo, aumentam os níveis de glicose no sangue e contribuem para o desenvolvimento dos fungos. Por isso, dê preferência para legumes, verduras, carne branca e frutas que ajudam a fortalecer o sistema imunológico.

  • Ingestão de vitamina C: excelente para o tratamento da candidíase, pois é capaz de favorecer o metabolismo, regular os níveis de açúcar no sangue, estimular o sistema imunológico para que ele se fortaleça e também aumenta os níveis de ácido no estômago, fatores esses que previnem e combatem a infecção causada pela candidíase. As vitaminas A, E e B5 também são recomendadas.
  • Reduzir o estresse: o descontrole emocional pode afetar e muito o sistema imunológico, por isso, é importante estar atento ao seu nível de estresse. Quando se tira um tempo para descansar, relaxar e cuidar das emoções, o sistema se torna imune a várias doenças, inclusive, a candidíase.

Por isso, se você quer ter um estilo de vida saudável e não passar por uma infecção desse tipo, fique atento as dicas para vencer a candidíase, principalmente, com os cuidados diários que ajudam a prevenir essa doença e também garantir que a sua saúde esteja sempre 100%.

Candidíase é uma DST?

doença

Muitas pessoas, atualmente, por falta de orientação e informações reais, acabam achando que a candidíase é uma DST. Apesar de ser uma infecção genital que pode ser transmitida através das relações sexuais, a doença está relacionada com a queda de imunidade, podendo ser contraída tanto em homens quanto em mulheres.

Essa condição é provocada por fungos (Cândida albicans, geralmente) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco peculiar e espesso, nas mulheres, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

As lesões provocadas pela doença podem chegar até a região do períneo, ou seja, entre a vagina e o ânus. Por isso, é extremamente importante que homens e mulheres tenham o cuidado com sua saúde sexual em dia para que o parceiro não corra riscos de ser contaminado.

Dessa forma, se você deseja saber melhor sobre esse assunto, no qual muitos acreditam que a candidíase é uma DST, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

Esclarecendo a dúvida se a candidíase é uma DST

organismos vivos

A monolíase, como também pode ser conhecida, é um tipo de infecção ocasionado por fungos, que atinge homens e mulheres, nas regiões íntimas. Apesar de ser transmitida pelo sexo, o que faz muitos acreditarem que a candidíase é uma DST, essa condição não pode ser considerada uma doença sexualmente transmissível, pois existem outros fatores que resultam em seu aparecimento.

Na grande maioria dos casos, a candidíase está relacionada com a queda da imunidade do organismo, muito provavelmente, pelo uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticoides e imunossupressores, além disso, em mulheres grávidas, pessoas diabéticas, com algum tipo de alergia ou HPV também podem ter essa infecção aflorada.

Os sintomas em homens e mulheres são diferentes

Confira a seguir quais as características principais em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenas no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Para realizar o diagnóstico da doença é preciso fazer um exame clínico, no ginecologista para as mulheres, que é feito através do Papanicolau ou no urologista para os homens. Após a confirmação da infecção, o médico irá recomendar qual tratamento é o mais indicado através das possíveis causas de contaminação.

Normalmente, o tratamento é feito a base de antimicóticos e pomadas antifúngicas, que são aplicados na região comprometida. Contudo, quando o caso é mais severo, os médicos costumam prescrever medicamentos por via oral e que demandam um tempo maior para tratar a doença.

Evitar a contração desse tipo de infecção

Dessa forma, para evitar a contração desse tipo de infecção, algumas recomendações são bastante válidas e ajudam a ter uma boa saúde íntima, confira a seguir quais são:

  • Busque ter uma alimentação e estilo de vida saudável;
  • Evite ao máximo o consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarro;
  • Se previna usando camisinha nas suas relações sexuais;
  • Tenha uma boa higiene íntima;
  • Não use roupas de material sintético, como calcinhas e cuecas e também o uso de calças, shorts e afins muito justos ao corpo;
  • Evite ao máximo o uso de absorventes internos e de papel higiênico que tenha perfume ou seja colorido.

Quando a pessoa está atenta para esses cuidados a contração desse tipo de doença se torna mínimo. Além disso, é extremamente importante seguir todas as orientações que seu médico recomenda, para que, assim, você tenha uma vida sexual saudável.

Pessoas que estão constantemente expostas

Agora, existem pessoas que estão constantemente expostas as crises de candidíase, que podem ser na vagina, pênis ou cutânea. Se essa situação ocorrer com frequência, em grande parte, a infecção pode ser intestinal, assim, as causas do problema são mais complexas.

Dessa forma, é imprescindível que se procure um médico especialista que possa fazer um diagnóstico mais detalhado do caso e identificar as possíveis origens dessa infecção. Se você já vivenciou a doença, algumas questões que envolvem seus hábitos alimentares devem ser repensadas, pois estas podem ser as causa do problema, como, por exemplo:

  • Ingestão de alimentos com alto teor de açúcar;
  • Alimentação desregrada e pobre em nutrientes;
  • Sistema imunológico fraco, favorecendo a gripes e resfriados constantes;
  • Problemas digestivos;
  • Problemas com ansiedade e estresse;
  • Dor de cabeça relacionada a ingestão de alguns alimentos específicos;
  • Uso de medicamentos regulares para tratamento de outras doenças;
  • Inflamações frequentes de garganta ou ouvido.

Essa são algumas perguntas comuns de serem feitas à pessoas que têm a infecção várias vezes seguidas. Com essa análise simples, já é possível entender as causa da doença. Apesar de ser muito difundido que a candidíase é uma DST, não caia nessa e faça a sua prevenção.

Transar com camisinha aromatizada causa candidíase?

mulher assustada

Muitas pessoas durante a relação sexual têm o costume de utilizar a camisinha aromatizada como forma de esquentar a relação. Contudo, existe uma certa preocupação relacionada com o uso do preservativo e o surgimento da candidíase, que consiste em uma infecção genital que pode ser transmitida através do ato sexual, apesar de não ser considerada uma DST.

Essa doença é ocasionada por fungos (Cândida albicans, geralmente) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco peculiar e espesso, nas mulheres, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

A candidíase pode surgir de diversas causas, dentre elas as que afetam o sistema imunológico, aumentam o açúcar no sangue ou alteram o equilíbrio das bactérias boas presentes na pele. Inclusive, o sexo pode ser uma dessas causas em conjunto com a camisinha.

Assim, se você deseja saber melhor sobre esse assunto e se transar com camisinha aromatizada pode causar candidíase, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

O papel da camisinha aromatizada e o surgimento da candidíase

casal na cama

A sensibilidade da pela na região genital é alta, assim, qualquer alteração  da população bacteriana ali presente, que promovem a saúde íntima, pode causar sérias complicações. Um bom exemplo é a camisinha aromatizada utilizada por pessoas com uma pré-disposição em contrair a candidíase.

A relação sexual, independente se feita ou não com preservativo, gera um estresse a pele dessa região, que, em muitos casos, pode causar irritações e edemas. Além disso, os produtos adicionados a camisinha para que ela tenha aroma podem agravar ainda mais para um episódio de candidíase.

Contudo, é importante deixar bem claro que as relações sexuais com camisinha não provocam a candidíase, uma vez que a preservação é muito importante para se evitar outras doenças sexualmente transmissíveis. Mas o ideal é o uso da caminha convencional e que, durante a relação, se tenha uma lubrificação adequada para não irritar a pele.

Outro fator importante é o processo de recuperação da doença

Outro fator importante é o processo de recuperação da doença, assim, uma pessoa que está em tratamento não deve ter nenhum tipo de contato sexual, incluído masturbação e sexo oral, pois pode acontecer uma fricção na pele machucada e agravar a situação.

Na grande maioria dos casos, a candidíase está relacionada com a queda da imunidade do organismo, muito provavelmente pelo uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticoides e imunossupressores, além disso, em mulheres grávidas, pessoas diabéticas, com algum tipo de alergia ou HPV também podem ter essa infecção aflorada.

Contudo, uma pessoa que tem tendência para desenvolver a candidíase sempre estará exposta a ter a doença mais vezes durante o ano, entre duas e no máximo três vezes. Mas se esse quadro passar para mais de quatro vezes é preciso ir até um especialista identificar quais são as causas que podem estar favorecendo para essas infecções fúngicas constantes.

Também deve-se saber que os sintomas nos homens e mulheres são diferentes.

homem  sem roupa

Confira a seguir quais as características principais em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenos no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Dessa forma, para evitar a contração desse tipo de infecção, algumas recomendações são bastante válidas e ajudam a ter uma boa saúde íntima, confira a seguir quais são:

  • Busque ter uma alimentação e estilo de vida saudável;
  • Evite ao máximo o consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarro;
  • Se previna usando camisinha nas suas relações sexuais;
  • Tenha uma boa higiene íntima;
  • Não use roupas de material sintético, como calcinhas e cuecas e também o uso de calças, shorts e afins muito justos ao corpo;
  • Evite ao máximo o uso de absorventes internos e de papel higiênico que tenha perfume ou seja colorido.

Por isso, não deixe de usar o preservativo em suas relações sexuais, pois assim você vai estar seguro e protegido de doenças mais graves. Contudo, se você tem uma disposição em contrair a candidíase, procure evitar a camisinha aromatizada, optando pela tradicional, e esteja sempre atento a lubrificação.

Cuidados com a saúde íntima e o perigo da calça jeans apertada 

calcinha rosa

A candidíase, que não é uma DST (doença sexualmente transmissível), é um tipo de infecção genital que pode ser contraída através das relações sexuais e também com a alimentação e a queda de imunidade do organismo. Contudo, a calça jeans apertada associada a irregular higiene intima podem transmitir a doença, que é comum tanto em homens quanto em mulheres.

Essa infecção é provocada por fungos (Cândida albicans) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento esbranquiçado, nas mulheres, por exemplo, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

As lesões provocadas pela doença podem chegar até a região do períneo, ou seja, entre a vagina e o ânus. Por isso, é extremamente importante que homens e mulheres tenham o cuidado com sua saúde sexual para que o parceiro não corra riscos de ser contaminado.

Dessa forma, se você deseja saber melhor sobre esse assunto e como a calça jeans apertada pode influenciar na contração da candidíase, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

A vagina é ima região muito sensível

 

Nas mulheres, a vagina é considerada uma região muito sensível e que está sujeita a desequilíbrios na sua população benéfica de bactérias. Um bom exemplo de como isso pode acontecer é através do excesso de higiene e o uso de roupas muito justas, como a calça jeans apertada, que se torna propícia para o surgimento de infecções na região, como a candidíase.

A proliferação inadequada de alguns fungos, sendo o mais comum de todos o Candida, pode ser resultado de diversos fatores, sendo, em grande parte, a falta de cuidados com a região íntima a principal causa. Confira medidas a se adotar:

  • Dormir sem calcinha promove a ventilação da área íntima e evita com que problemas relacionados a fungos possam surgir.
  • As roupas apertadas, principalmente, aquelas de tecidos sintéticos e que esquentam muito acabam dificultando a transpiração da região íntima e favorecem a proliferação de microorganismos indesejáveis.
  • A higiene também é extremamente importante, contudo, o excesso de limpeza pode causar problemas na flora da região, por isso, evite lavar a vagina e o pênis várias vezes ao dia e com água e sabonete. Apenas uma vez já é suficiente e com sabão neutro.
  • Talcos e perfumes não devem ser utilizados, pois estes causam irritação na região íntima.
  • A troca de absorventes, tanto os internos quanto externos, deve ocorrer no intervalo máximo de quatro horas.
  • A ducha vaginal não é recomendada, pois pode trazer desequilíbrios.
  • Os tecidos de algodão são os mais indicados para calcinhas e cuecas, pois permitem a respiração da região. Ainda, não use roupas apertadas, que além de impedir a correta circulação, criam um ambiente propício para que outros micro-organismos, como o fungo Candida, se manifestem.

Para identificar se você está com a doença

Saiba que os sintomas da candidíase aparecem nos homens e mulheres de formas diferentes, portanto, confira a seguir quais as características em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenos no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Para realizar o diagnóstico da doença é preciso fazer um exame clínico, no ginecologista para as mulheres, que é feito através do Papanicolau ou no urologista para os homens. Após a confirmação da infecção, o médico irá recomendar qual tratamento é o mais indicado através das possíveis causas.

Normalmente, o tratamento é feito a base de antimicóticos e pomadas antifúngicas, que são aplicados na região comprometida. Contudo, quando o caso é mais severo, os médicos costumam prescrever medicamentos por via oral que demandam um tempo maior para tratar a doença.

Por isso, se você deseja evitar esse tipo de contaminação por fungos, que é a candidíase, tenha boas práticas de cuidados da região íntima e evite o uso de calça jeans apertada, pois esse tipo de vestuário pode sim comprometer a boa saúde da vagina e pênis, trazendo complicações para esse sistema.

Estou com candidíase, posso ter relação sexual?

mulher com a calça aberta

Inúmeras mulheres possuem diversas dúvidas quando estão com candidíase e desejam ter relação sexual com o seu parceiro, porém o fato é que mesmo não sendo considerada como uma doença sexualmente transmissível, a candidíase também pode acabar sento transmitida por meio da relação sexual, quando não ocorre o uso de preservativos.

A candidíase é conhecida como a causa da proliferação do fungo Candida Albicans, sendo uma condição causada principalmente entre mulheres e que geralmente é caracterizada por sintomas, como ardência, dores, vermelhidão, coceiras na vagina, corrimento esbranquiçado, entre outros.

Assim, em relação a esse tipo de infecção na região mais íntima da mulher, acabem surgindo inúmeras dúvidas quando o assunto é relação sexual, como, por exemplo, se é possível manter normalmente atos sexuais ou se existe qualquer risco de contágio.

Saiba mais se é possível ter relação sexual se você estiver com candidíase

Para que você tenha conhecimento se pode ter relação sexual estando com candidíase, é importante que você entenda que é possível sim manter relações sexuais, porém é extremamente que haja alguns cuidados e que o ato sexual seja com proteção. Sendo assim, confira algumas informações relevantes abaixo!

  • Mesmo sendo possível ter relação sexual quando a mulher estiver com candidíase, segundo alguns médicos, o ato sexual não é muito recomendado devido ao fato dela poder sentir mais ainda as irritações, dores no momento da penetração, coceiras na vagina e aparecimento de mais vermelhidão.

Assim, diante de tantas dúvidas das mulheres sobre ter relação sexual estando com candidíase, o mais recomendado é que ato sexual seja suspendido entre o casal ate que a infecção seja curada

Fatores importantes para isso

  • Outro fator importante sobre ter relação sexual quando a mulher está com candidíase é que tudo pode ser muito doloroso e incômodo para ambos, além ainda de retardar a cura da infecção pois é importante que haja uma suspensão dos tecidos vaginais para uma recuperação adequada.
  • Algo extremamente importante que devesse levar em consideração é que ter relação sexual sem proteção estando com candidíase pode implicar ainda no risco de você contagiar o seu parceiro.

Embora essa infecção não seja sexualmente transmissível, é possível que após manter as relações, o seu parceiro acabe apresentando sintomas, como queimação, caroços ou até mesmo vermelhidão no pênis.

Assim, caso o seu parceiro tenha queimação e vermelhidão na sua região genital após ter mantido relações sexuais com você, é extremamente importante que ele procure por um médico para a realização de exames e, assim, receba o tratamento adequado.

Relação sexual com a doença

  • Para ter relação sexual estando com candidíase, é essencial que você sempre informe o seu parceiro que está com a doença ou com suspeita, mesmo não tendo ainda realizado uma consulta médica, pois assim é possível tomar todas as precauções para evitar que a infecção seja transmitida.
  • Outra pergunta bastante realizada pelas mulheres sobre a relação sexual estando com a candidíase, é se a doença pode ou não afetar a fertilidade. Porém, segundo alguns médicos, não existem quaisquer provas científicas que demonstrem que a candidíase acabe afetando de forma negativa a sua probabilidade de ficar grávida.

Assim, em relação ao tratamento da candidíase para que você tenha uma vida sexual ativa saudável, é importante que você saiba que para curar a infecção geralmente são receitados medicamentos antifúngicos que podem ser tanto via oral ou local mediante a aplicação de óvulos na vagina, ou até mesmo pomada na vulva.

Procedimentos que devem ser considerados

Normalmente, tais procedimentos costumam garantir resultados imediatos logo em uma semana. No entanto, quando existe a relação sexual com o uso de preservativo durante o tratamento médico e o fato de não existir qualquer risco de gravidade, não é indicado o ato sexual, pois, os movimentos no coito podem piorar a irritação da vagina e a recuperação.

Mas, independentemente se haja relação sexual estando com candidíase, caso a sua infecção não melhore, é extremamente importante que você consulte o médico imediatamente, pois pode ser que você esteja com uma infecção recorrente ou com outras infecções que geralmente apresentam similaridade de sintomas, porém são causados por outros microrganismos.

Portanto, quando uma mulher apresenta o diagnóstico de candidíase, é importante que ela seja orientada pelo médico sobre todo o tratamento e as suas dúvidas se é possível ter relações sexuais e quais serão as consequências, pois o ato sexual pode piorar a irritação, coceira e vermelhidão na vagina, além da mulher ter incômodos durante o sexo.

Candidíase – o que é importante saber sobre a doença?

mulher olhando a calcinha

Em relação a candidíase, é extremamente importante saber diversas informações sobre a mesma, e principalmente as suas principais causas. Para quem ainda não sabe, o causador principal da candidíase vaginal é o fungo Candida Albicans, o qual já está no organismo da mulher em pequenas quantidades e vive em equilíbrio com a flora vaginal.

No entanto, para que haja o surgimento da candidíase na mulher, alguns fatores podem acabar levando ao desequilíbrio do fungo no organismo, o que faz com que ele se reproduza e cause diversos sintomas desagradáveis na mulher.

Além disso, como a região genital da mulher é mais quente e úmida, este acaba sendo um dos principais ambientes propícios para que o fungo se propague e cause diversos problemas de incômodo e afeta a qualidade de vida da mulher.

Saiba mais o que é importante saber sobre a candidíase

mulher com as mãos na boca

Existem diversos pontos necessários para entender o que é importante saber sobre a candidíase, e um deles são os fatores de risco, onde certos hábitos diários acabam desencadeando o aumento da população do fungo e se espalhando pelo organismo, o que leva a candidíase vaginal. Confira abaixo alguns dos principais fatores de risco! Em relação ao uso de antibióticos, a microbiota vaginal possui inúmeras bactérias, e algumas delas podem estar aliadas ao organismo, o que ocasiona no auxílio de conter as bactérias e fungos que são nocivos.

Antibióticos

Porém, os antibióticos que possuem largo espectro, ou seja, aqueles que já são mais eficazes contra diversas bactérias, podem também destruir as bactérias saudáveis na vagina, levando ao crescimento de leveduras, como é o caso do fungo da candidíase vaginal. Outro fator de risco é o aumento dos níveis de estrogênio, onde as infecções dos fungos ocorrem mais frequentes em mulheres que tem esses níveis mais aumentados. Um exemplo são as mulheres que estão grávidas e que normalmente tomam doses altas de estrogênio, ou que realizam terapia de hormônios de estrógeno.Além disso, o consumo exagerado de doces e carboidratos em geral também ocasionam no crescimento do fungo que causa a candidíase vaginal por meio da alteração do pH, o qual fica mais ácido e com isso torna-se um ambiente bastante propício para que o fungo se prolifere.

Glicose

Em relação a glicose, ela também pode servir como alimento para o fungo, e por isso, quando está em altas quantidades no sangue acaba ocasionando no aparecimento da candidíase vaginal.Um fato de risco bastante comentado sobre a candidíase vaginal, é o sexo sem proteção, onde embora a doença não seja considerada uma DST, el pode ser transmitido através da relação sexual, principalmente pelas genitálias e a boca.Um dos principais fatores de risco da candidíase são os locais e o uso de vestuários úmidos, onde o fungo prefere regiões mais úmidas, com isso a vagina acaba sendo uma área comum para contrair essa infecção.Por fim, existem ainda fatores de risco, como dormir mal, ingerir poucas vitaminas, estresse, gripes fortes e uso de drogas.

Candidíase e seus sintomas

mulher fechando as calças

No caso dos sintomas que a mulher sente quando contraí a candidíase, eles normalmente podem ocasionar em um corrimento esbranquiçado que pode causar coceira na região vaginal, dores, vermelhidão e corrimento agrupado.

Por isso, se você está sentindo algum desses sintomas é extremamente importante que busque ajuda médica, especialmente um ginecologista ou um clínico geral, os quais provavelmente irão lhe fazer diversas perguntas.

Além disso, para saber o que é importante sobre a candidíase é necessário que você leve todas as suas dúvidas ao médico, pois assim você terá respostas relevantes e um tratamento adequado com o uso de pomadas antifúngicas, além dos medicamentos orais para que o quadro não retorne.

Fique atenta

Porém, o mais adequando é que você tome certas atitudes para evitar contrair a candidíase, e para isso, é necessário que haja algumas mudanças na sua alimentação, além de manter a vagina sempre limpa e seca, utilizar antibióticos somente com a orientação do seu médico, ter um estilo de vida saudável, entre outras atitudes que podem ser efetivas.

Portanto, todas as informações sobre o que é importante saber sobre a candidíase são bastante relevantes e devem sempre ser levados em consideração no seu estilo de vida diário para que essa infecção não venha a acontecer com você.

Candidíase pode ser transmitida? Como?

mulher olhando para cima

Muitas dúvidas surgem entre as mulheres sobre como a candidíase pode ser transmitida, e ter o conhecimento das causas, sintomas, prevenções e tratamentos pode ser algo extremamente importante para não ter que passar por essa doença desagradável.

Primeiramente, é necessário entender que a candidíase é uma infecção que ocorre através do fungo conhecido como Candida Albican, o qual já se encontra no corpo humano e fica transitando pelo organismo. Dessa forma, a doença aparece quando o fungo se manifesta, ocorrendo um aumento da sua população.

Por isso, para entender melhor como a candidíase pode ser transmitida, é necessário também conhecer a maneira como o fungo se manifesta no corpo. Mas, de uma maneira geral, ele costuma manifestar em pessoas que apresentam o sistema imunológico mais comprometido.

Saiba como pode-se pegar candidíase e quais as formas de transmissão da doença

Geralmente, a candidíase pode ser transmitida através de qualquer meio de contato com a parte da pele que está lesionada ou com o aumento da população do fungo Candida Albicans, além do contato direto com as secreções da pele. Confira abaixo as formas mais comuns de transmissão da candidíase!

  • Apesar de não ser uma doença sexualmente transmissível, quando a mulher possui uma vida sexual ativa sem proteção, a doença pode ser transmitida, pois o homem também pode apresentar a doença, e com isso a mulher pode acabar se contagiando.
  • Ainda em relação ao contato sexual, seja a penetração vaginal, oral é até mesmo anal, é possível existir a transmissão da candidíase, onde a única forma de prevenção é evitar o contato direto com a pele e as mucosas da pessoa com a doença, ou realizar o uso de preservativos.
  • A candidíase pode ainda ser transmitida por meio do compartilhamento de alguns objetos que deveriam ser de uso individual, como toalhas de banho, escova de dente, calcinhas, e até mesmo lâmina de barbear.

Geralmente, quando tais objetos são compartilhados entre os indivíduos, eles acabam sendo uma das principais formas de se pegar a candidíase, e para a prevenção é importante evitar ao máximo compartilhar todos os seus objetos pessoais para não contrair a doença.

Transmissão da candidíase

A transmissão da candidíase ocorre então por meio do contato com as secreções provenientes da vagina, da boca e da pele, e já no caso dos homens, podem aparecer diversas manchas vermelhas por toda a pele. Além disso, pode ocorrer ainda a transmissão da mãe para o bebê no momento do parto.

Além disso, um dos principais fatores que desencadeiam a candidíase é o uso de antibióticos e de medicamentos que podem diminuir as defesas do organismo, além também da obesidade, do uso de roupas muito apertadas, falta de higiene, calor, estresse e umidade.

É importante lembrar ainda, segundo os médicos, que a candidíase também ocorre com o aumento da presença da Candida Albicans devido aos tratamentos mal finalizados com os medicamentos, sejam por razões como preferências ou custo alto, alergias ao medicamento, entre outros motivos.

Assim, é extremamente importante sempre buscar por métodos que sejam realmente eficazes como forma efetiva para o tratamento, além de tomar algumas atitudes preventivas para não contrair a doença.

Por isso, para o tratamento da candidíase, primeiramente é necessário descobrir quais são as principais causas para combater e evitar que a doença ocorra, e o mais recomendado, segundo os médicos, é a utilização de medicamentos locais e sistêmicos via oral.

Prevenir a candidíase

Já em relação a prevenção da candidíase, para se prevenir contra esta doença a melhor atitude a se tomar é sempre manter o fortalecimento do seu sistema imunológico, e isso pode ser realizado com uma boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos.

Além disso, é extremamente importante sempre se alimentar bem e ter uma vida saudável, além de procurar ter uma boa higiene íntima, evitar beber bebidas alcoólicas, não fumar, entre muitos outros comportamentos que acabam levando a contração dessa doença.

Portanto, pode-se notar que existem inúmeras formas de como a candidíase pode ser transmitida, e para que você não seja surpreendido com essa doença desagradável vale a pena tomar todos os cuidados de prevenção recomendados.

Candidíase: saiba tudo sobre essa doença que afeta grande parte das mulheres

mulher com a mão na barriga

Candidíase, a qual é uma doença que afeta grande parte delas, ocasionando em uma coceira interminável, inchaço, corrimento e até mesmo fissuras na parede vaginal.

Segundo alguns médicos, os sintomas citados acima são normalmente um dos mais irritantes da candidíase vaginal, podendo até mesmo aparecer mais de uma vez por ano quando não tratada corretamente ou quando a mulher não se previne.

Além disso, muito se fala que a candidíase é uma DST, porém é importante salientar que diferente do que a maioria das pessoas pensam, a candidíase não é considerada uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), pois ela surge a partir de fungos que já se encontram no organismo.

Saiba mais tudo sobre a candidíase, a doença que afeta a maioria das mulheres

Para que as mulheres entendam melhor sobre a candidíase é importante que elas saibam que todas elas possuem microrganismos, mas que muitos deles muitas vezes não necessariamente se manifestam, pois é preciso que haja um ambiente mais favorável para que a candidíase ocorra.

Assim, como a vagina é uma região do corpo bem mais úmida e quente, a região acaba facilitando que tais microrganismos sejam desenvolvidos e proliferem, causando a doença.

Saiba tudo sobre as causas da candidíase

celulas

  • Existem diversas formas de causas da candidíase;
  • Normalmente, a candidíase pode ocorrer durante um momento de lazer da mulher, ou seja, quando ela realiza atividades em locais mais úmidos, os quais são:
  • Piscinas;
  • Banheiras;
  • Saunas;
  • Roupas usadas para realização de exercícios físicos, entre outros.

Conheça os tipos de candidíase mais comuns

Além da candidíase vaginal, a qual é a mais conhecidas pelas pessoas, ainda existem outros tipos, os quais são:

  • A candidíase vaginal é uma das infecções mais comuns causada pelo fungo e que apresenta sintomas como irritação da vagina e da vulva, vermelhidão, coceira e secreção vaginal esbranquiçada.
  • Além disso, ainda existe a candidíase oral, a qual é normalmente mais frequente em crianças, e até mesmo em bebês, sendo conhecido como sapinhos.

Em relação aos sintomas da candidíase oral, de uma maneira geral, podem surgir algumas placas esbranquiçadas na garganta, boca ou língua, além de muita ardência na boca, dores e dificuldades para engolir os alimentos.

Saiba como é realizado o diagnóstico da candidíase

calcinhas no varal

Em relação ao diagnóstico da candidíase é necessário que a mulher procure por um médico, especialmente um ginecologista ou um clínico geral.

O médico irá correlacionar as informações fornecidas pela mulher, irá provavelmente realizar um exame físico.

Além disso, outros tipos de exames podem ajudar a identificar o diagnóstico da candidíase.

Os exames de cultura que são realizados em laboratório e também a inspeção por lâmina de microscopia.

Sobre o tratamento da candidíase

Em relação ao tratamento da candidíase, ele é geralmente baseado no uso de antifúngicos, os quais podem ser prescritos em forma de comprimidos e também em substâncias de uso no local da região da doença, o que acaba completando o tratamento via oral e aliviando um pouco os sintomas que são muito desagradáveis.

Além disso, o tratamento oral pode ser realizado em uma única dose ou também em doses fracionadas por algumas semanas. Já o tratamento com pomadas ou até mesmo de óvulos vaginais, eles também podem ser realizados e normalmente variam de 1 a 10 dias conforme a substância.

Como se prevenir e evitar a candidíase

Em relação a prevenção da candidíase, é extremamente importante manter o sistema imunológico em condições que evitem a infecção, e com isso existem algumas recomendações:

  • Ter uma boa alimentação diariamente e praticar atividades físicas;
  • Controlar os níveis glicêmicos, especialmente em casos de pacientes com diabetes;
  • Evitar o uso de remédios antibióticas ou os hormônios esteroides;
  • Realizar a higienização correta das roupas intimas e utilizar preservativos durante as relações sexuais.
  • Ter sempre hábitos de higiene e também do vestuário para evitar o aparecimento da candidíase;
  • Após urinar é essencial enxugar corretamente e delicadamente;
  • Uma dica é evitar o uso de calcinhas que sejam de tecido com fibra sintética ou outro material que não garante uma boa ventilação;
  • Sempre trocar imediatamente a roupa após ir à piscina ou praia;
  • Não é recomendável deixar as calcinhas secando no banheiro;
  • Nunca fique por bastante tempo com a roupa em que realizou atividades físicas;
  • E por fim, sempre mantenha a região genital limpa e seca.

Portanto, saber tudo sobre a candidíase pode ser algo extremamente importante para que as mulheres conheçam as causas, prevenções e tratamento, e principalmente não sofram com os sintomas desagradáveis que a doença pode causar.