Causas da candidíase

casal na cama

Muita gente já ouviu falar sobre candidíase, e a assemelha na hora a uma doença sexualmente transmissível e ligada inteiramente ao sexo feminino. Na verdade, nenhuma dessas suposições está correta.

Mesmo que a candidíase se apresente muito mais nas mulheres – quase 75% de todas elas vão ter essa infecção uma vez na vida – e ela esteja ligada com o sexo sem proteção, tanto homens podem ter a doença quanto outras causas existem.

Por isso resolvemos mostrar aqui hoje as principais causas da candidíase, e acabar com esses mitos que rondam o assunto, fazendo com que seja muito mais fácil de diagnostica-lo.

O que é a candidíase?

A candidíase é uma infecção causa por um fungo da família Cândida, que mesmo presente em nosso organismo, no intestino, de uma maneira pacifica, quanto reproduzido várias vezes causa um descontrole interno.

Essa infecção pode acontecer em diversas partes do corpo, sendo a mais comum a região genital, mas também aparece na boca, esôfago, pele e outros órgãos.

Por mais comum e frequente que ela seja, é preciso conhecer e seguir o tratamento correto, já que se a candidíase for mal curada, ela pode ficar invasiva e gerar repetições anuais frequentes para os pacientes.

Conheça as causas da candidíase

mulher com a calça aberta

Um fato importante é que a candidíase apenas se apresenta quando o nosso sistema imunológico está enfraquecido, por isso é preciso cuidar bem da saúde para que as questões abaixo não te façam ter a infecção.

  • Uma dieta de alto teor de açúcar

Organismos como Cândida albicans precisam de compostos orgânicos baseados em carbono para fornecer energia. Na prática, isso significa açúcares como glicose, frutose e sacarose.

Eles usam essa energia para crescer e construir suas paredes celulares, que são constituídas por 80% de carboidratos. A Cândida também usa açúcar para mudar sua forma patogênica e fúngica e para construir os biofilmes que o protegem do seu sistema imunológico.

No entanto, uma dieta rica em açúcar funciona para deprimir seu sistema imunológico, deixando-o vulnerável e permitindo que o fermento de Cândida prolifere.

  • Antibióticos

Talvez esse seja o culpado mais comum para um crescimento excessivo de candidíase.

Um tratamento com antibióticos provavelmente matará as bactérias nocivas para as quais é prescrito, mas também destrói muitas bactérias benéficas e amigáveis ​​que vivem em seu intestino.

Este exército de bactérias desempenha um papel de vital importância em seu sistema imunológico, que pode deixar o seu corpo indefenso para bactérias e fungos nocivos, como o fungo rápido de Cândida que pode dominar rapidamente o intestino.

Claro que há momentos em que você realmente precisa daquela receita de antibióticos, mas a verdade é que os médicos prescrevem por muitos problemas de saúde desnecessariamente, como o resfriado comum ou a dor de garganta.

Certifique-se de que não haja nenhum tratamento alternativo para sua condição e, se você deve tomar antibióticos, certifique-se de tomar um bom suplemento probiótico durante e após o tratamento para reabastecer sua população de bactérias saudáveis.

  • Estresse crônico

Uma das primeiras reações de seu corpo a uma situação estressante é liberar cortisol, um hormônio que deprime seu sistema imunológico e eleva seu nível de açúcar no sangue.

O fermento Cândida alimenta o açúcar extra, enquanto seu sistema imune enfraquecido é impotente para detê-lo, assim o estresse dá-lhe a chance de dominar a flora intestinal existente no seu intestino delgado.

Estudos demonstraram que o estresse psicológico pode mudar rapidamente os padrões de colonização de micro-organismos no intestino.

  • Pílula anticonceptiva

Os intestinos são órgãos delicados, contendo uma ampla mistura de micro-organismos e leveduras que ajudam a processar e digerir os alimentos.

Ao perturbar esse equilíbrio, a pílula anticoncepcional abre a porta para que Cândida mais uma vez supera seus concorrentes no intestino. O estrogênio, principal ingrediente da pílula anticoncepcional, é conhecido por promover o crescimento de fermento.

  • Diabetes

O primeiro motivo é que os diabéticos têm altos níveis de açúcar no sangue que alimentam as células de levedura de Cândida. Isto é devido a uma falta de produção de insulina no corpo ou porque o corpo não está reagindo à insulina como deveria.

O segundo motivo é o sistema imunológico enfraquecido que é um dos sintomas da diabetes, e isso permite que as células de levedura de Cândida se multipliquem e se transformem em sua forma patogênica fúngica, a candidíase.

Esses são algumas das causas mais comuns de candidíase, juntamente com sexo sem proteção, roupas muito apertadas e molhadas e a falta de higiene na área. Por isso certifique-se de conversar com seu médico sobre qualquer anormalidade.

Candidíase tem cura?

mulher assustada

A candidíase é uma doença extremamente mal compreendida, e muitas vezes as pessoas assemelham seus sintomas com outros tipos de infecções fúngicas ou apenas ignorando o que estão sentindo.

Mas apesar dela precisar ser levada mais a sério pelas pessoas, ela é extremamente comum, e aparece em mais de 75% das mulheres pelo menos uma vez em suas vidas.

Mas engana-se quem acredita que a candidíase é uma doença somente ligada ao sexo feminino. Ela também pode aparecer nos homens, e em vários outros lugares do corpo, além da região vaginal, tipo mais comum da doença.

Se você quer saber mais sobre essa infecção e aprender qual a sua cura, continue lendo para ter todas essas informações.

O que é candidíase?

doença na pele

Como dissemos a candidíase é uma infecção que pode aparecer tanto nos homens quanto nas mulheres, sendo mais comum no grupo feminino e na região vaginal.

Ela é causa pelo crescimento acelerado de um fungo que normalmente já vive em nosso intestino, mas sobre diferentes causas sai do controle, conhecido como Cândida.

A reprodução exagerada desse fungo que causa a candidíase costuma sempre acontecer quando nosso corpo está muito fraco, coma imunidade baixa, dando espaço para descontrole de organismo interno.

Quais as causas da candidíase?

mulher com a barriga vermelha

A imunidade baixa é a principal delas, mas existem outras ações que podem facilitar a proliferação desse fungo Cândida, gerando então a infecção. São elas:

  • Uso de roupas muito apertadas e molhadas com frequência;
  • Doenças que afetam o sistema imunológico (HPV, HIV, Lúpus);
  • Uso de absorventes internos;
  • Uso frequente de corticoides, antibióticos e anticoncepcionais;
  • Gravidez;
  • Diabetes;
  • Relações sexuais sem preservativo.

É importante lembrar que a candidíase, muito associada ao sexo sem proteção, não é considerada uma DST, mas que apresenta seu maior pico na fase de início da vida sexual dos adolescentes.

Ela tem cura? Como é feito o tratamento?

duas mulheres

Sim, apesar de ser uma infecção fungíca, a candidíase é muito comum e possui facilidade em sua cura, porém é importante lembrar que se ela não for tratada de forma correta, pode virar uma infecção muito mais forte e persistente dentro do organismo.

Assim, caso ela se torne recorrente pode acontecer em intervalos pequenos de tempo, causando desconforto para as pessoas diversas vezes por ano. Existem também casos onde a doença evolui e atinge órgãos vitais gerando diversas complicações.

Por isso, em qualquer caso de anormalidade e presença dos sintomas, é preciso conversar com um médico ou especialista, para que o tratamento possa ser feito de maneira adequada.

Na maioria das vezes os tratamentos utilizados para administrar das infecções por Cândida variam substancialmente e baseiam-se na localização anatômica da infecção, na doença subjacente e no estado imunológico dos pacientes, nos fatores de risco dos pacientes para infecção, às espécies específicas de Candida responsáveis ​​pela infecção e, em alguns casos, a susceptibilidade das espécies de Cândida a medicamentos antifúngicos específicos.

O fluconazol ainda é considerado um agente de primeira linha em pacientes não-neutro pênicos com candidemia ou suspeita de candidíase invasiva. Assim como suas versões orais e em pomadas, que deveram ser administradas em períodos de 7 a 10 dias.

Quais os sintomas da candidíase?

mulher com dor

Essa infecção pode atacar diversas partes do corpo, por isso é preciso ficar atento aos sintomas, que de forma generalizada são:

  • Ardência ao ter relações sexuais ou urinar;
  • Corrimento vaginal branco;
  • Coceira exagerada;
  • Vermelhidão;
  • Inflamação;
  • Líquidos esbranquiçados;
  • Descamação;
  • Erupções;

Como prevenir a candidíase?

Para quem já teve a doença e não quer mais sentir esse desconforto, existem algumas ações que podem ser feitas juntamente com o tratamento para que a proliferação não volte mais acontecer.

Assim é sempre indicado que:

  • Evite ter relações sexuais durante o tratamento ou sem preservativo;
  • Evite fazer uso de absorventes íntimos, escolhendo opções melhores como o coletor menstrual;
  • Não use nenhum produto na região genital que possa desequilibrar a flora;
  • Evite duchas vaginais;
  • Não use roupas muito apertadas ou molhadas;
  • Dormir sem roupas íntimas se possível;
  • Optar por peças íntimas de algodão que ajudam a região respirar melhor.

Existem ainda alguns remédios caseiros para a candidíase bastante divulgados na internet, como banhos de acento com vinagre e leite fervido, porém é importante conhecer a evolução da doença, já que se ela for bacteriana, o leite só irá piorar a incidência de organismos na região.

Candidíase masculina: como saber se eu estou com candidíase, e como tratar?

homem com as mãos no penis

Candidíase masculina, muita gente acredita que a infecção causada pela Cândida albicans apenas afeta as mulheres, mas na realidade a candidíase masculina também acontece, e com bastante frequência.

Essa infecção fúngica pode causar diversos sintomas de incômodos e pode ser contraída por meio de relações sexuais desprotegidas, entre outros fatores diversos.

O que precisa ficar claro é que a candidíase masculina é uma realidade, e que os homens precisam se cuidar para que ela não evolua para um estado pior e acabe gerando problemas mais sérios.

Candidíase masculina

A Cândida é um dos vários micro-organismos que vivem dentro do nosso corpo, mas especificamente em nosso intestino. No entanto, por conta de algumas mudanças dentro do nosso organismo, esse fungo pode crescer aceleradamente fazendo com que a candidíase masculina ocorra então, com uma infecção muito mais comum nas genitais.

Apesar de ela ser conhecida em sua versão feminina, 14 a 18% dos homens podem apresentar essa colonização acelerada na região genital, e ficarem completamente assintomáticos.

Como identificar essa infecção?

homem olhando o penis

De forma básica, a candidíase masculina causa pequenas inflamações na glande masculina, e no prepúcio, mas ela ainda pode ser assintomática, o que exige um pouco mais de cuidado pessoal por parte do paciente.

Os sintomas mais comuns dessa infecção peniana são:

  • Edema;
  • Ardência ao urinar ou ter relações físicas;
  • Coceira exagerada;
  • Vermelhidão;
  • Líquido em excesso parecido com esperma.

Conheça as causas da candidíase masculina

  • Imunidade baixa

A causa mais comum da candidíase masculina é a imunidade baixa, já como o fungo vive na flora masculina, ele pode se proliferar devido a um desequilíbrio dentro do organismo, que geralmente acontece por conta dessa baixa imunidade.

Por isso as relações sexuais não são a única causa da infecção.

As pessoas que tem doenças que afetam diretamente o sistema imunológico, como pacientes de HIV e Lúpus, ou pacientes que fazem uso de medicamentos com o mesmo efeito, são mais propícios a desenvolverem a candidíase.

Além disso, alcoolismo, diabetes e outros medicamentos como antibióticos ou corticoides podem diminuir a imunidade, fazendo com que a infecção surja como uma consequência.

  • Falta de higiene

Um problema muito comum com os homens em questão relacionadas ao pênis é sempre a falta de higiene, por conta de uma mentalidade um pouco rudimentar e machista.

A higiene correta da região é fundamental para evitar problemas como a candidíase masculina e outras complicações, já que isso regula a quantidade de micro-organismos na flora masculina e que atuam diretamente para a saúde e proteção do pênis.

A falta de cuidados pode gerar irritações e inflamações que geram infecções mais graves, assim como o excesso de umidade também atrapalha, criando um ambiente que seja favorável a proliferação desses e outros fungos.

Tratamentos da candidíase masculina

comprimidos sobre a mesa

Uma vez que o diagnóstico é feito por meio de um exame físico com o urologista, é preciso visitar esse profissional pelo menos uma vez ao ano para garantir a saúde do seu membro.

É possível também que o médico peça exames complementares como uma análise de sangue para descobrir de fato como anda a infecção.

A candidíase masculina é muito mais fácil se tratada no início, já que a falta de cuidados sempre agrava os casos. Por isso o urologista irá indicar uma medicação adequada para cada paciente, de acordo com duração e dosagem corretas.

Os métodos de tratamentos mais comuns são as pomadas e cremes para a candidíase masculina, de cunho antifúngico ou antimicóticos, sendo essenciais para o controle dessa proliferação de organismos.

Ou então medicamentos via oral também de cunho antifúngicos, como o Fluconazol que apresenta dose única e impede que a proliferação ocorra, já apresentando melhoras dos sinais em 24 horas.

A candidíase masculina é transmissível?

 

Infelizmente sim, e se os pacientes não se trataram podem acabar passando a proliferação para o companheiro, por isso é sempre essencial que haja uso de preservativos nas relações sexuais.

Também é importante que durante o tratamento nenhum dos dois tenha relações, já que mesmo com a camisinha o quadro pode piorar, por conta do látex e outros itens que causam irritações.

Por isso fique sempre atento, faça exames e check-ups periódicos e tenha sua saúde em dia para prevenir a candidíase masculina e outras complicações maiores na região peniana.

Candidíase na pele – Você conhece esse tipo da infecção?

doença nos dedos so pé

Candidíase na pele, muita gente já ouviu falar sobre a candidíase, especialmente as mulheres que sofrem mais com isso, mas muitas dessas pessoas nem sabe que existem diferentes da infecção, como a candidíase cutânea, e que os homens também estão sujeitos.

Na nossa pele existem diferentes tipos de fungos e bactérias que crescem e vivem por toda nossa vida. A maioria deles não causa nenhum tipo de perigo para o nosso corpo e são necessários para a realização de funções normais.

No entanto, alguns desses organismos vivos podem causar infecções em nossos corpos quando se multiplicam incontrolavelmente, pelos mais variados motivos.

O fungo Cândida é um desses organismos potencialmente prejudicais, e que quando encontrado em excesso no corpo, pode desenvolver uma infecção séria. Na pele a doença é conhecida como candidíase cutânea ou candidíase de pele.

O que é a candidíase cutânea?

doença no pé

A candidíase cutânea, é uma infecção causada pela Cândida que apresenta problemas da pele e dos apêndices (as unhas e o cabelo) e é causada por uma proliferação dessa levedura.

Essa proliferação pode ocorrer em diversos lugares do corpo, sendo o mais comum a área intima, conhecida como candidíase vaginal, que afeta 75% das mulheres pelo menos 1 vez em toda a vida.

Mas também pode acontecer na boca, esôfago e outras regiões do corpo, como a pele.

Sintomas da candidíase cutânea

mulher triste pensando

Essa infecção é favorecida pela umidade, maceração e pela acidez, se manifestando pela aparição de intertrigo no corpo, ou seja, vermelhidões que ficam cobertas por uma espécie de camada branca.

Além disso é possível ver erupções no corpo, uma coceira muito grande, descamação e a liberação de um líquido transparente atípico. Sendo sempre importante que na presença da coceira é preciso resistir e não cocar o local.

Já que assim é possível aumentar a ferida e facilitar a transmissão da infecção para outras partes do corpo, criando uma generalização e fazendo com que o tratamento seja mais demorado.

Elas se situam especialmente nas dobras do corpo e possuem um aspecto fissurado ao fundo das dobras. As principais aparições podem ser vistas nas seguintes áreas:

  • Axilas;
  • Virilha;
  • Umbigo;
  • Ao redor do ânus;
  • Parte interna da coxa;
  • Região dos seios;
  • Entre os dedos dos pés e das mãos.

Nas unhas essa infecção de candidíase cutânea apresenta uma forma de tumefação inflamatória e muito dolorosa.

Diagnóstico da candidíase cutânea

Na maioria das vezes o diagnóstico dessa infecção é feito apenas com um exame clínico de um especialista, mas existem casos que precisam de uma colheita de amostra para um teste laboratorial.

Em qualquer caso de dúvida é necessário que esse exame clínico seja feito para que haja uma análise direta da infecção, por meio do estudo da natureza dessas leveduras, identificando exatamente o grau e o responsável pelo problema.

Qual o tratamento?

A candidíase cutânea geralmente é prevenida por meio de remédios caseiros, mais fique atento para não piorar a infecção, por isso procure um médico no primeiro sinal de anormalidade.

A higiene adequada do local é muito importante, sempre levando e secando a pele regularmente e evitando que ela fique úmida. Além disso, existem algumas mudanças no estilo de vida que podem ajudar você a prevenir e tratar essa infecção, sendo elas:

Reduza a quantidade de açúcar que você ingere

xícara com açucar

  • Adicione probióticos à sua alimentação;
  • Use um sabão neutro e suave;
  • Use roupas mais soltas e confortáveis;
  • Troque as meias e roupas intimas regularmente;
  • Não fique com roupas úmidas ou suadas.

Mas em todos os casos o tratamento será feito por meio de pomadas e compridos antifúngicos, como o Fuconazol que pode ser facilmente administrado e é muito eficiente no combate a essa infecção.

Caso você tenha diabetes é sempre importante seguir as instruções do seu médico, já que você pode precisar a usar medicamentos orais ou aumentar a sua quantidade de insulina.

Nos casos mais graves e persistentes de candidíase cutânea, é preciso que seu médico esteja ciente para que ele possa prescrever a medicação correta e você possa se livrar do problema de maneira eficiente.

Por isso nunca deixe de conversar com seu especialista em qualquer mudança que perceber, e cuide do seu organismo para que não existe uma possibilidade de você adquirir candidíase cutânea.

Candidíase é uma DST?

doença

Muitas pessoas, atualmente, por falta de orientação e informações reais, acabam achando que a candidíase é uma DST. Apesar de ser uma infecção genital que pode ser transmitida através das relações sexuais, a doença está relacionada com a queda de imunidade, podendo ser contraída tanto em homens quanto em mulheres.

Essa condição é provocada por fungos (Cândida albicans, geralmente) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco peculiar e espesso, nas mulheres, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

As lesões provocadas pela doença podem chegar até a região do períneo, ou seja, entre a vagina e o ânus. Por isso, é extremamente importante que homens e mulheres tenham o cuidado com sua saúde sexual em dia para que o parceiro não corra riscos de ser contaminado.

Dessa forma, se você deseja saber melhor sobre esse assunto, no qual muitos acreditam que a candidíase é uma DST, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

Esclarecendo a dúvida se a candidíase é uma DST

organismos vivos

A monolíase, como também pode ser conhecida, é um tipo de infecção ocasionado por fungos, que atinge homens e mulheres, nas regiões íntimas. Apesar de ser transmitida pelo sexo, o que faz muitos acreditarem que a candidíase é uma DST, essa condição não pode ser considerada uma doença sexualmente transmissível, pois existem outros fatores que resultam em seu aparecimento.

Na grande maioria dos casos, a candidíase está relacionada com a queda da imunidade do organismo, muito provavelmente, pelo uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticoides e imunossupressores, além disso, em mulheres grávidas, pessoas diabéticas, com algum tipo de alergia ou HPV também podem ter essa infecção aflorada.

Os sintomas em homens e mulheres são diferentes

Confira a seguir quais as características principais em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenas no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Para realizar o diagnóstico da doença é preciso fazer um exame clínico, no ginecologista para as mulheres, que é feito através do Papanicolau ou no urologista para os homens. Após a confirmação da infecção, o médico irá recomendar qual tratamento é o mais indicado através das possíveis causas de contaminação.

Normalmente, o tratamento é feito a base de antimicóticos e pomadas antifúngicas, que são aplicados na região comprometida. Contudo, quando o caso é mais severo, os médicos costumam prescrever medicamentos por via oral e que demandam um tempo maior para tratar a doença.

Evitar a contração desse tipo de infecção

Dessa forma, para evitar a contração desse tipo de infecção, algumas recomendações são bastante válidas e ajudam a ter uma boa saúde íntima, confira a seguir quais são:

  • Busque ter uma alimentação e estilo de vida saudável;
  • Evite ao máximo o consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarro;
  • Se previna usando camisinha nas suas relações sexuais;
  • Tenha uma boa higiene íntima;
  • Não use roupas de material sintético, como calcinhas e cuecas e também o uso de calças, shorts e afins muito justos ao corpo;
  • Evite ao máximo o uso de absorventes internos e de papel higiênico que tenha perfume ou seja colorido.

Quando a pessoa está atenta para esses cuidados a contração desse tipo de doença se torna mínimo. Além disso, é extremamente importante seguir todas as orientações que seu médico recomenda, para que, assim, você tenha uma vida sexual saudável.

Pessoas que estão constantemente expostas

Agora, existem pessoas que estão constantemente expostas as crises de candidíase, que podem ser na vagina, pênis ou cutânea. Se essa situação ocorrer com frequência, em grande parte, a infecção pode ser intestinal, assim, as causas do problema são mais complexas.

Dessa forma, é imprescindível que se procure um médico especialista que possa fazer um diagnóstico mais detalhado do caso e identificar as possíveis origens dessa infecção. Se você já vivenciou a doença, algumas questões que envolvem seus hábitos alimentares devem ser repensadas, pois estas podem ser as causa do problema, como, por exemplo:

  • Ingestão de alimentos com alto teor de açúcar;
  • Alimentação desregrada e pobre em nutrientes;
  • Sistema imunológico fraco, favorecendo a gripes e resfriados constantes;
  • Problemas digestivos;
  • Problemas com ansiedade e estresse;
  • Dor de cabeça relacionada a ingestão de alguns alimentos específicos;
  • Uso de medicamentos regulares para tratamento de outras doenças;
  • Inflamações frequentes de garganta ou ouvido.

Essa são algumas perguntas comuns de serem feitas à pessoas que têm a infecção várias vezes seguidas. Com essa análise simples, já é possível entender as causa da doença. Apesar de ser muito difundido que a candidíase é uma DST, não caia nessa e faça a sua prevenção.

Transar com camisinha aromatizada causa candidíase?

mulher assustada

Muitas pessoas durante a relação sexual têm o costume de utilizar a camisinha aromatizada como forma de esquentar a relação. Contudo, existe uma certa preocupação relacionada com o uso do preservativo e o surgimento da candidíase, que consiste em uma infecção genital que pode ser transmitida através do ato sexual, apesar de não ser considerada uma DST.

Essa doença é ocasionada por fungos (Cândida albicans, geralmente) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco peculiar e espesso, nas mulheres, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

A candidíase pode surgir de diversas causas, dentre elas as que afetam o sistema imunológico, aumentam o açúcar no sangue ou alteram o equilíbrio das bactérias boas presentes na pele. Inclusive, o sexo pode ser uma dessas causas em conjunto com a camisinha.

Assim, se você deseja saber melhor sobre esse assunto e se transar com camisinha aromatizada pode causar candidíase, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

O papel da camisinha aromatizada e o surgimento da candidíase

casal na cama

A sensibilidade da pela na região genital é alta, assim, qualquer alteração  da população bacteriana ali presente, que promovem a saúde íntima, pode causar sérias complicações. Um bom exemplo é a camisinha aromatizada utilizada por pessoas com uma pré-disposição em contrair a candidíase.

A relação sexual, independente se feita ou não com preservativo, gera um estresse a pele dessa região, que, em muitos casos, pode causar irritações e edemas. Além disso, os produtos adicionados a camisinha para que ela tenha aroma podem agravar ainda mais para um episódio de candidíase.

Contudo, é importante deixar bem claro que as relações sexuais com camisinha não provocam a candidíase, uma vez que a preservação é muito importante para se evitar outras doenças sexualmente transmissíveis. Mas o ideal é o uso da caminha convencional e que, durante a relação, se tenha uma lubrificação adequada para não irritar a pele.

Outro fator importante é o processo de recuperação da doença

Outro fator importante é o processo de recuperação da doença, assim, uma pessoa que está em tratamento não deve ter nenhum tipo de contato sexual, incluído masturbação e sexo oral, pois pode acontecer uma fricção na pele machucada e agravar a situação.

Na grande maioria dos casos, a candidíase está relacionada com a queda da imunidade do organismo, muito provavelmente pelo uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticoides e imunossupressores, além disso, em mulheres grávidas, pessoas diabéticas, com algum tipo de alergia ou HPV também podem ter essa infecção aflorada.

Contudo, uma pessoa que tem tendência para desenvolver a candidíase sempre estará exposta a ter a doença mais vezes durante o ano, entre duas e no máximo três vezes. Mas se esse quadro passar para mais de quatro vezes é preciso ir até um especialista identificar quais são as causas que podem estar favorecendo para essas infecções fúngicas constantes.

Também deve-se saber que os sintomas nos homens e mulheres são diferentes.

homem  sem roupa

Confira a seguir quais as características principais em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenos no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Dessa forma, para evitar a contração desse tipo de infecção, algumas recomendações são bastante válidas e ajudam a ter uma boa saúde íntima, confira a seguir quais são:

  • Busque ter uma alimentação e estilo de vida saudável;
  • Evite ao máximo o consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarro;
  • Se previna usando camisinha nas suas relações sexuais;
  • Tenha uma boa higiene íntima;
  • Não use roupas de material sintético, como calcinhas e cuecas e também o uso de calças, shorts e afins muito justos ao corpo;
  • Evite ao máximo o uso de absorventes internos e de papel higiênico que tenha perfume ou seja colorido.

Por isso, não deixe de usar o preservativo em suas relações sexuais, pois assim você vai estar seguro e protegido de doenças mais graves. Contudo, se você tem uma disposição em contrair a candidíase, procure evitar a camisinha aromatizada, optando pela tradicional, e esteja sempre atento a lubrificação.

Cuidados com a saúde íntima e o perigo da calça jeans apertada 

calcinha rosa

A candidíase, que não é uma DST (doença sexualmente transmissível), é um tipo de infecção genital que pode ser contraída através das relações sexuais e também com a alimentação e a queda de imunidade do organismo. Contudo, a calça jeans apertada associada a irregular higiene intima podem transmitir a doença, que é comum tanto em homens quanto em mulheres.

Essa infecção é provocada por fungos (Cândida albicans) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento esbranquiçado, nas mulheres, por exemplo, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

As lesões provocadas pela doença podem chegar até a região do períneo, ou seja, entre a vagina e o ânus. Por isso, é extremamente importante que homens e mulheres tenham o cuidado com sua saúde sexual para que o parceiro não corra riscos de ser contaminado.

Dessa forma, se você deseja saber melhor sobre esse assunto e como a calça jeans apertada pode influenciar na contração da candidíase, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

A vagina é ima região muito sensível

 

Nas mulheres, a vagina é considerada uma região muito sensível e que está sujeita a desequilíbrios na sua população benéfica de bactérias. Um bom exemplo de como isso pode acontecer é através do excesso de higiene e o uso de roupas muito justas, como a calça jeans apertada, que se torna propícia para o surgimento de infecções na região, como a candidíase.

A proliferação inadequada de alguns fungos, sendo o mais comum de todos o Candida, pode ser resultado de diversos fatores, sendo, em grande parte, a falta de cuidados com a região íntima a principal causa. Confira medidas a se adotar:

  • Dormir sem calcinha promove a ventilação da área íntima e evita com que problemas relacionados a fungos possam surgir.
  • As roupas apertadas, principalmente, aquelas de tecidos sintéticos e que esquentam muito acabam dificultando a transpiração da região íntima e favorecem a proliferação de microorganismos indesejáveis.
  • A higiene também é extremamente importante, contudo, o excesso de limpeza pode causar problemas na flora da região, por isso, evite lavar a vagina e o pênis várias vezes ao dia e com água e sabonete. Apenas uma vez já é suficiente e com sabão neutro.
  • Talcos e perfumes não devem ser utilizados, pois estes causam irritação na região íntima.
  • A troca de absorventes, tanto os internos quanto externos, deve ocorrer no intervalo máximo de quatro horas.
  • A ducha vaginal não é recomendada, pois pode trazer desequilíbrios.
  • Os tecidos de algodão são os mais indicados para calcinhas e cuecas, pois permitem a respiração da região. Ainda, não use roupas apertadas, que além de impedir a correta circulação, criam um ambiente propício para que outros micro-organismos, como o fungo Candida, se manifestem.

Para identificar se você está com a doença

Saiba que os sintomas da candidíase aparecem nos homens e mulheres de formas diferentes, portanto, confira a seguir quais as características em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenos no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Para realizar o diagnóstico da doença é preciso fazer um exame clínico, no ginecologista para as mulheres, que é feito através do Papanicolau ou no urologista para os homens. Após a confirmação da infecção, o médico irá recomendar qual tratamento é o mais indicado através das possíveis causas.

Normalmente, o tratamento é feito a base de antimicóticos e pomadas antifúngicas, que são aplicados na região comprometida. Contudo, quando o caso é mais severo, os médicos costumam prescrever medicamentos por via oral que demandam um tempo maior para tratar a doença.

Por isso, se você deseja evitar esse tipo de contaminação por fungos, que é a candidíase, tenha boas práticas de cuidados da região íntima e evite o uso de calça jeans apertada, pois esse tipo de vestuário pode sim comprometer a boa saúde da vagina e pênis, trazendo complicações para esse sistema.

Candidíase pode ser transmitida? Como?

mulher olhando para cima

Muitas dúvidas surgem entre as mulheres sobre como a candidíase pode ser transmitida, e ter o conhecimento das causas, sintomas, prevenções e tratamentos pode ser algo extremamente importante para não ter que passar por essa doença desagradável.

Primeiramente, é necessário entender que a candidíase é uma infecção que ocorre através do fungo conhecido como Candida Albican, o qual já se encontra no corpo humano e fica transitando pelo organismo. Dessa forma, a doença aparece quando o fungo se manifesta, ocorrendo um aumento da sua população.

Por isso, para entender melhor como a candidíase pode ser transmitida, é necessário também conhecer a maneira como o fungo se manifesta no corpo. Mas, de uma maneira geral, ele costuma manifestar em pessoas que apresentam o sistema imunológico mais comprometido.

Saiba como pode-se pegar candidíase e quais as formas de transmissão da doença

Geralmente, a candidíase pode ser transmitida através de qualquer meio de contato com a parte da pele que está lesionada ou com o aumento da população do fungo Candida Albicans, além do contato direto com as secreções da pele. Confira abaixo as formas mais comuns de transmissão da candidíase!

  • Apesar de não ser uma doença sexualmente transmissível, quando a mulher possui uma vida sexual ativa sem proteção, a doença pode ser transmitida, pois o homem também pode apresentar a doença, e com isso a mulher pode acabar se contagiando.
  • Ainda em relação ao contato sexual, seja a penetração vaginal, oral é até mesmo anal, é possível existir a transmissão da candidíase, onde a única forma de prevenção é evitar o contato direto com a pele e as mucosas da pessoa com a doença, ou realizar o uso de preservativos.
  • A candidíase pode ainda ser transmitida por meio do compartilhamento de alguns objetos que deveriam ser de uso individual, como toalhas de banho, escova de dente, calcinhas, e até mesmo lâmina de barbear.

Geralmente, quando tais objetos são compartilhados entre os indivíduos, eles acabam sendo uma das principais formas de se pegar a candidíase, e para a prevenção é importante evitar ao máximo compartilhar todos os seus objetos pessoais para não contrair a doença.

Transmissão da candidíase

A transmissão da candidíase ocorre então por meio do contato com as secreções provenientes da vagina, da boca e da pele, e já no caso dos homens, podem aparecer diversas manchas vermelhas por toda a pele. Além disso, pode ocorrer ainda a transmissão da mãe para o bebê no momento do parto.

Além disso, um dos principais fatores que desencadeiam a candidíase é o uso de antibióticos e de medicamentos que podem diminuir as defesas do organismo, além também da obesidade, do uso de roupas muito apertadas, falta de higiene, calor, estresse e umidade.

É importante lembrar ainda, segundo os médicos, que a candidíase também ocorre com o aumento da presença da Candida Albicans devido aos tratamentos mal finalizados com os medicamentos, sejam por razões como preferências ou custo alto, alergias ao medicamento, entre outros motivos.

Assim, é extremamente importante sempre buscar por métodos que sejam realmente eficazes como forma efetiva para o tratamento, além de tomar algumas atitudes preventivas para não contrair a doença.

Por isso, para o tratamento da candidíase, primeiramente é necessário descobrir quais são as principais causas para combater e evitar que a doença ocorra, e o mais recomendado, segundo os médicos, é a utilização de medicamentos locais e sistêmicos via oral.

Prevenir a candidíase

Já em relação a prevenção da candidíase, para se prevenir contra esta doença a melhor atitude a se tomar é sempre manter o fortalecimento do seu sistema imunológico, e isso pode ser realizado com uma boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos.

Além disso, é extremamente importante sempre se alimentar bem e ter uma vida saudável, além de procurar ter uma boa higiene íntima, evitar beber bebidas alcoólicas, não fumar, entre muitos outros comportamentos que acabam levando a contração dessa doença.

Portanto, pode-se notar que existem inúmeras formas de como a candidíase pode ser transmitida, e para que você não seja surpreendido com essa doença desagradável vale a pena tomar todos os cuidados de prevenção recomendados.