Candidíase é uma DST?

doença

Muitas pessoas, atualmente, por falta de orientação e informações reais, acabam achando que a candidíase é uma DST. Apesar de ser uma infecção genital que pode ser transmitida através das relações sexuais, a doença está relacionada com a queda de imunidade, podendo ser contraída tanto em homens quanto em mulheres.

Essa condição é provocada por fungos (Cândida albicans, geralmente) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco peculiar e espesso, nas mulheres, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

As lesões provocadas pela doença podem chegar até a região do períneo, ou seja, entre a vagina e o ânus. Por isso, é extremamente importante que homens e mulheres tenham o cuidado com sua saúde sexual em dia para que o parceiro não corra riscos de ser contaminado.

Dessa forma, se você deseja saber melhor sobre esse assunto, no qual muitos acreditam que a candidíase é uma DST, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

Esclarecendo a dúvida se a candidíase é uma DST

organismos vivos

A monolíase, como também pode ser conhecida, é um tipo de infecção ocasionado por fungos, que atinge homens e mulheres, nas regiões íntimas. Apesar de ser transmitida pelo sexo, o que faz muitos acreditarem que a candidíase é uma DST, essa condição não pode ser considerada uma doença sexualmente transmissível, pois existem outros fatores que resultam em seu aparecimento.

Na grande maioria dos casos, a candidíase está relacionada com a queda da imunidade do organismo, muito provavelmente, pelo uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticoides e imunossupressores, além disso, em mulheres grávidas, pessoas diabéticas, com algum tipo de alergia ou HPV também podem ter essa infecção aflorada.

Os sintomas em homens e mulheres são diferentes

Confira a seguir quais as características principais em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenas no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Para realizar o diagnóstico da doença é preciso fazer um exame clínico, no ginecologista para as mulheres, que é feito através do Papanicolau ou no urologista para os homens. Após a confirmação da infecção, o médico irá recomendar qual tratamento é o mais indicado através das possíveis causas de contaminação.

Normalmente, o tratamento é feito a base de antimicóticos e pomadas antifúngicas, que são aplicados na região comprometida. Contudo, quando o caso é mais severo, os médicos costumam prescrever medicamentos por via oral e que demandam um tempo maior para tratar a doença.

Evitar a contração desse tipo de infecção

Dessa forma, para evitar a contração desse tipo de infecção, algumas recomendações são bastante válidas e ajudam a ter uma boa saúde íntima, confira a seguir quais são:

  • Busque ter uma alimentação e estilo de vida saudável;
  • Evite ao máximo o consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarro;
  • Se previna usando camisinha nas suas relações sexuais;
  • Tenha uma boa higiene íntima;
  • Não use roupas de material sintético, como calcinhas e cuecas e também o uso de calças, shorts e afins muito justos ao corpo;
  • Evite ao máximo o uso de absorventes internos e de papel higiênico que tenha perfume ou seja colorido.

Quando a pessoa está atenta para esses cuidados a contração desse tipo de doença se torna mínimo. Além disso, é extremamente importante seguir todas as orientações que seu médico recomenda, para que, assim, você tenha uma vida sexual saudável.

Pessoas que estão constantemente expostas

Agora, existem pessoas que estão constantemente expostas as crises de candidíase, que podem ser na vagina, pênis ou cutânea. Se essa situação ocorrer com frequência, em grande parte, a infecção pode ser intestinal, assim, as causas do problema são mais complexas.

Dessa forma, é imprescindível que se procure um médico especialista que possa fazer um diagnóstico mais detalhado do caso e identificar as possíveis origens dessa infecção. Se você já vivenciou a doença, algumas questões que envolvem seus hábitos alimentares devem ser repensadas, pois estas podem ser as causa do problema, como, por exemplo:

  • Ingestão de alimentos com alto teor de açúcar;
  • Alimentação desregrada e pobre em nutrientes;
  • Sistema imunológico fraco, favorecendo a gripes e resfriados constantes;
  • Problemas digestivos;
  • Problemas com ansiedade e estresse;
  • Dor de cabeça relacionada a ingestão de alguns alimentos específicos;
  • Uso de medicamentos regulares para tratamento de outras doenças;
  • Inflamações frequentes de garganta ou ouvido.

Essa são algumas perguntas comuns de serem feitas à pessoas que têm a infecção várias vezes seguidas. Com essa análise simples, já é possível entender as causa da doença. Apesar de ser muito difundido que a candidíase é uma DST, não caia nessa e faça a sua prevenção.

Transar com camisinha aromatizada causa candidíase?

mulher assustada

Muitas pessoas durante a relação sexual têm o costume de utilizar a camisinha aromatizada como forma de esquentar a relação. Contudo, existe uma certa preocupação relacionada com o uso do preservativo e o surgimento da candidíase, que consiste em uma infecção genital que pode ser transmitida através do ato sexual, apesar de não ser considerada uma DST.

Essa doença é ocasionada por fungos (Cândida albicans, geralmente) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco peculiar e espesso, nas mulheres, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

A candidíase pode surgir de diversas causas, dentre elas as que afetam o sistema imunológico, aumentam o açúcar no sangue ou alteram o equilíbrio das bactérias boas presentes na pele. Inclusive, o sexo pode ser uma dessas causas em conjunto com a camisinha.

Assim, se você deseja saber melhor sobre esse assunto e se transar com camisinha aromatizada pode causar candidíase, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

O papel da camisinha aromatizada e o surgimento da candidíase

casal na cama

A sensibilidade da pela na região genital é alta, assim, qualquer alteração  da população bacteriana ali presente, que promovem a saúde íntima, pode causar sérias complicações. Um bom exemplo é a camisinha aromatizada utilizada por pessoas com uma pré-disposição em contrair a candidíase.

A relação sexual, independente se feita ou não com preservativo, gera um estresse a pele dessa região, que, em muitos casos, pode causar irritações e edemas. Além disso, os produtos adicionados a camisinha para que ela tenha aroma podem agravar ainda mais para um episódio de candidíase.

Contudo, é importante deixar bem claro que as relações sexuais com camisinha não provocam a candidíase, uma vez que a preservação é muito importante para se evitar outras doenças sexualmente transmissíveis. Mas o ideal é o uso da caminha convencional e que, durante a relação, se tenha uma lubrificação adequada para não irritar a pele.

Outro fator importante é o processo de recuperação da doença

Outro fator importante é o processo de recuperação da doença, assim, uma pessoa que está em tratamento não deve ter nenhum tipo de contato sexual, incluído masturbação e sexo oral, pois pode acontecer uma fricção na pele machucada e agravar a situação.

Na grande maioria dos casos, a candidíase está relacionada com a queda da imunidade do organismo, muito provavelmente pelo uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticoides e imunossupressores, além disso, em mulheres grávidas, pessoas diabéticas, com algum tipo de alergia ou HPV também podem ter essa infecção aflorada.

Contudo, uma pessoa que tem tendência para desenvolver a candidíase sempre estará exposta a ter a doença mais vezes durante o ano, entre duas e no máximo três vezes. Mas se esse quadro passar para mais de quatro vezes é preciso ir até um especialista identificar quais são as causas que podem estar favorecendo para essas infecções fúngicas constantes.

Também deve-se saber que os sintomas nos homens e mulheres são diferentes.

homem  sem roupa

Confira a seguir quais as características principais em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenos no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Dessa forma, para evitar a contração desse tipo de infecção, algumas recomendações são bastante válidas e ajudam a ter uma boa saúde íntima, confira a seguir quais são:

  • Busque ter uma alimentação e estilo de vida saudável;
  • Evite ao máximo o consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarro;
  • Se previna usando camisinha nas suas relações sexuais;
  • Tenha uma boa higiene íntima;
  • Não use roupas de material sintético, como calcinhas e cuecas e também o uso de calças, shorts e afins muito justos ao corpo;
  • Evite ao máximo o uso de absorventes internos e de papel higiênico que tenha perfume ou seja colorido.

Por isso, não deixe de usar o preservativo em suas relações sexuais, pois assim você vai estar seguro e protegido de doenças mais graves. Contudo, se você tem uma disposição em contrair a candidíase, procure evitar a camisinha aromatizada, optando pela tradicional, e esteja sempre atento a lubrificação.

Estou com candidíase, posso ter relação sexual?

mulher com a calça aberta

Inúmeras mulheres possuem diversas dúvidas quando estão com candidíase e desejam ter relação sexual com o seu parceiro, porém o fato é que mesmo não sendo considerada como uma doença sexualmente transmissível, a candidíase também pode acabar sento transmitida por meio da relação sexual, quando não ocorre o uso de preservativos.

A candidíase é conhecida como a causa da proliferação do fungo Candida Albicans, sendo uma condição causada principalmente entre mulheres e que geralmente é caracterizada por sintomas, como ardência, dores, vermelhidão, coceiras na vagina, corrimento esbranquiçado, entre outros.

Assim, em relação a esse tipo de infecção na região mais íntima da mulher, acabem surgindo inúmeras dúvidas quando o assunto é relação sexual, como, por exemplo, se é possível manter normalmente atos sexuais ou se existe qualquer risco de contágio.

Saiba mais se é possível ter relação sexual se você estiver com candidíase

Para que você tenha conhecimento se pode ter relação sexual estando com candidíase, é importante que você entenda que é possível sim manter relações sexuais, porém é extremamente que haja alguns cuidados e que o ato sexual seja com proteção. Sendo assim, confira algumas informações relevantes abaixo!

  • Mesmo sendo possível ter relação sexual quando a mulher estiver com candidíase, segundo alguns médicos, o ato sexual não é muito recomendado devido ao fato dela poder sentir mais ainda as irritações, dores no momento da penetração, coceiras na vagina e aparecimento de mais vermelhidão.

Assim, diante de tantas dúvidas das mulheres sobre ter relação sexual estando com candidíase, o mais recomendado é que ato sexual seja suspendido entre o casal ate que a infecção seja curada

Fatores importantes para isso

  • Outro fator importante sobre ter relação sexual quando a mulher está com candidíase é que tudo pode ser muito doloroso e incômodo para ambos, além ainda de retardar a cura da infecção pois é importante que haja uma suspensão dos tecidos vaginais para uma recuperação adequada.
  • Algo extremamente importante que devesse levar em consideração é que ter relação sexual sem proteção estando com candidíase pode implicar ainda no risco de você contagiar o seu parceiro.

Embora essa infecção não seja sexualmente transmissível, é possível que após manter as relações, o seu parceiro acabe apresentando sintomas, como queimação, caroços ou até mesmo vermelhidão no pênis.

Assim, caso o seu parceiro tenha queimação e vermelhidão na sua região genital após ter mantido relações sexuais com você, é extremamente importante que ele procure por um médico para a realização de exames e, assim, receba o tratamento adequado.

Relação sexual com a doença

  • Para ter relação sexual estando com candidíase, é essencial que você sempre informe o seu parceiro que está com a doença ou com suspeita, mesmo não tendo ainda realizado uma consulta médica, pois assim é possível tomar todas as precauções para evitar que a infecção seja transmitida.
  • Outra pergunta bastante realizada pelas mulheres sobre a relação sexual estando com a candidíase, é se a doença pode ou não afetar a fertilidade. Porém, segundo alguns médicos, não existem quaisquer provas científicas que demonstrem que a candidíase acabe afetando de forma negativa a sua probabilidade de ficar grávida.

Assim, em relação ao tratamento da candidíase para que você tenha uma vida sexual ativa saudável, é importante que você saiba que para curar a infecção geralmente são receitados medicamentos antifúngicos que podem ser tanto via oral ou local mediante a aplicação de óvulos na vagina, ou até mesmo pomada na vulva.

Procedimentos que devem ser considerados

Normalmente, tais procedimentos costumam garantir resultados imediatos logo em uma semana. No entanto, quando existe a relação sexual com o uso de preservativo durante o tratamento médico e o fato de não existir qualquer risco de gravidade, não é indicado o ato sexual, pois, os movimentos no coito podem piorar a irritação da vagina e a recuperação.

Mas, independentemente se haja relação sexual estando com candidíase, caso a sua infecção não melhore, é extremamente importante que você consulte o médico imediatamente, pois pode ser que você esteja com uma infecção recorrente ou com outras infecções que geralmente apresentam similaridade de sintomas, porém são causados por outros microrganismos.

Portanto, quando uma mulher apresenta o diagnóstico de candidíase, é importante que ela seja orientada pelo médico sobre todo o tratamento e as suas dúvidas se é possível ter relações sexuais e quais serão as consequências, pois o ato sexual pode piorar a irritação, coceira e vermelhidão na vagina, além da mulher ter incômodos durante o sexo.