Candidíase vaginal é um problema entre as mulheres

mulher com a calcinha abaixada

Candidíase vaginal, pode ser que você que está lendo isso já tenha sofrido e nem sabia. Isso porque um estudo recente afirmou que 75% das mulheres já tiveram pelo menos um episódio em suas vidas, ou ainda terão.

Não é pouco né? Mas calma, essa infecção fúngica é super normal, podendo atingir tanto a região íntima tanto masculina quanto feminina, podendo ocorrer em diversas faixas etárias e por uma série de motivos diferentes.

Por isso para que você fique atento aos sinais que seu corpo apresenta, saiba ao certo o que é a candidíase vaginal, como evitar e o tratamento, nós separamos 8 fatos fundamentais que você precisa saber sobre a doença.

  1. Como a candidíase vaginal surge e quais são as suas causas?

O fungo Cândida albicans é o responsável por essa infecção, sendo que normalmente ele já vive dentro do ambiente vaginal. Ele também é responsável pela versão oral da infecção.

A candidíase vaginal pode ser desencadeada por outros tipos de fungos e cepas do organismo, porém essa é a mais comum de todas. É tão comum e frequente que 3 em cada 4 mulheres já tiverem um episódio em toda a vida.

O motivo mais recorrente da candidíase vaginal é o começo da vida sexual, que pode gerar um desequilíbrio no pH vaginal, que pode alterar toda a incidência de fungos e bactérias nesse ambiente.

Um outro fator comum que desencadeia a candidíase é a alteração da temperatura dessa região, que pode favorecer o crescimento de organismo, juntamente com a umidade que pode ajudar.

Por isso esses 3 itens – umidade e temperatura, pH e acidez – precisam estar constantemente adequados.

  1. Quais são os sintomas da candidíase vaginal?

mulher com as mão na vagina sentada

Os sintomas são sempre extremamente claros e precisos, com vermelhidão, dor tanto na hora da relação quanto de urinas, corrimento branco parecido com nata, secura vaginal e uma coceira extrema.

  1. Como é feito o diagnóstico?

Em quase todos os casos as pacientes irão relatar as queixas e serem examinadas por meio de um Papanicolau, mas há também a possibilidade de realizar uma cultura de secreção vaginal, juntamente com uma pesquisa de fungos.

  1. Existem diversas receitas caseiras para a candidíase vaginal. Alguma funciona?

Como o pH ideal das vaginas e um pouco ácido, algo em torno de 4,5, muitas pessoas recomendam um banho de assento com leite fermentado e vinagre, já que a composição pode regularizar a flora vaginal.

O problema maior com essas receitas é que não existe um diagnóstico correto, e caso você tenha uma infecção bacteriana por exemplo, o leite pode adicionar mais organismos na região.

O mais indicado então é sempre procurar um médico para receber ajuda. Medicamento com cloridrato de benzidamina, muitos cremes especializados e antifúngicos orais são sempre eficientes.

Mas é fundamental que haja o acompanhamento e prescrição médica, já que algumas mulheres podem desenvolver uma candidíase vaginal mais resistentes, correndo maior risco.

  1. Quais sãos a formas de prevenção mais efetivas?

O ponto chave para a prevenção da candidíase vaginal é a higiene vaginal. O que muita gente acredita é que lavar a região demais ou com produtos íntimos pode ser a solução, na verdade é o problema.

A área precisa de uma abundância de água e sabões neutros, e também respirar, já que muitas vezes usamos roupas muito apartadas e que podem causar uma umidade maior.

Calcinhas de algodão são uma outra maneira de prevenir também, e evitar roupas muito apertadas e escuras em dias quentes, que podem abafar mais ainda.

  1. Que fatores facilitam o surgimento?

mulher triste

Os fatores que podem criar condições propícias para a infecção, como doenças imunodepressoras, como o HIV, a diabetes e tratamentos com corticoide, anticoncepcionais e antibióticos podem alterar o pH vaginal também.

  1. A depilação e os absorventes prejudicam?

Ainda são necessários estudos dentro da área, sendo que a depilação ainda não é vista como uma vilã que ajuda a causar a candidíase vaginal, apesar de prejudicar um pouco o pH normal da vagina.

Já os absorventes íntimos deixam a região abafada por muito mais tempo, e podem ajudar a proliferação de fungos. É sempre importante respeitar a intensidade do seu fluxo, e procura por meios de coleta mais eficientes, como o coletor menstrual.

  1. A candidíase vaginal está associada a outras DSTs?

A micose como a candidíase vaginal pode aparecer em outras infecções como a gonorreia, clamídia e outros, isso porque o desequilíbrio da região favorece o crescimento de fungos e bactérias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *