Candidíase masculina: como saber se eu estou com candidíase, e como tratar?

homem com as mãos no penis

Candidíase masculina, muita gente acredita que a infecção causada pela Cândida albicans apenas afeta as mulheres, mas na realidade a candidíase masculina também acontece, e com bastante frequência.

Essa infecção fúngica pode causar diversos sintomas de incômodos e pode ser contraída por meio de relações sexuais desprotegidas, entre outros fatores diversos.

O que precisa ficar claro é que a candidíase masculina é uma realidade, e que os homens precisam se cuidar para que ela não evolua para um estado pior e acabe gerando problemas mais sérios.

Candidíase masculina

A Cândida é um dos vários micro-organismos que vivem dentro do nosso corpo, mas especificamente em nosso intestino. No entanto, por conta de algumas mudanças dentro do nosso organismo, esse fungo pode crescer aceleradamente fazendo com que a candidíase masculina ocorra então, com uma infecção muito mais comum nas genitais.

Apesar de ela ser conhecida em sua versão feminina, 14 a 18% dos homens podem apresentar essa colonização acelerada na região genital, e ficarem completamente assintomáticos.

Como identificar essa infecção?

homem olhando o penis

De forma básica, a candidíase masculina causa pequenas inflamações na glande masculina, e no prepúcio, mas ela ainda pode ser assintomática, o que exige um pouco mais de cuidado pessoal por parte do paciente.

Os sintomas mais comuns dessa infecção peniana são:

  • Edema;
  • Ardência ao urinar ou ter relações físicas;
  • Coceira exagerada;
  • Vermelhidão;
  • Líquido em excesso parecido com esperma.

Conheça as causas da candidíase masculina

  • Imunidade baixa

A causa mais comum da candidíase masculina é a imunidade baixa, já como o fungo vive na flora masculina, ele pode se proliferar devido a um desequilíbrio dentro do organismo, que geralmente acontece por conta dessa baixa imunidade.

Por isso as relações sexuais não são a única causa da infecção.

As pessoas que tem doenças que afetam diretamente o sistema imunológico, como pacientes de HIV e Lúpus, ou pacientes que fazem uso de medicamentos com o mesmo efeito, são mais propícios a desenvolverem a candidíase.

Além disso, alcoolismo, diabetes e outros medicamentos como antibióticos ou corticoides podem diminuir a imunidade, fazendo com que a infecção surja como uma consequência.

  • Falta de higiene

Um problema muito comum com os homens em questão relacionadas ao pênis é sempre a falta de higiene, por conta de uma mentalidade um pouco rudimentar e machista.

A higiene correta da região é fundamental para evitar problemas como a candidíase masculina e outras complicações, já que isso regula a quantidade de micro-organismos na flora masculina e que atuam diretamente para a saúde e proteção do pênis.

A falta de cuidados pode gerar irritações e inflamações que geram infecções mais graves, assim como o excesso de umidade também atrapalha, criando um ambiente que seja favorável a proliferação desses e outros fungos.

Tratamentos da candidíase masculina

comprimidos sobre a mesa

Uma vez que o diagnóstico é feito por meio de um exame físico com o urologista, é preciso visitar esse profissional pelo menos uma vez ao ano para garantir a saúde do seu membro.

É possível também que o médico peça exames complementares como uma análise de sangue para descobrir de fato como anda a infecção.

A candidíase masculina é muito mais fácil se tratada no início, já que a falta de cuidados sempre agrava os casos. Por isso o urologista irá indicar uma medicação adequada para cada paciente, de acordo com duração e dosagem corretas.

Os métodos de tratamentos mais comuns são as pomadas e cremes para a candidíase masculina, de cunho antifúngico ou antimicóticos, sendo essenciais para o controle dessa proliferação de organismos.

Ou então medicamentos via oral também de cunho antifúngicos, como o Fluconazol que apresenta dose única e impede que a proliferação ocorra, já apresentando melhoras dos sinais em 24 horas.

A candidíase masculina é transmissível?

 

Infelizmente sim, e se os pacientes não se trataram podem acabar passando a proliferação para o companheiro, por isso é sempre essencial que haja uso de preservativos nas relações sexuais.

Também é importante que durante o tratamento nenhum dos dois tenha relações, já que mesmo com a camisinha o quadro pode piorar, por conta do látex e outros itens que causam irritações.

Por isso fique sempre atento, faça exames e check-ups periódicos e tenha sua saúde em dia para prevenir a candidíase masculina e outras complicações maiores na região peniana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *