Candidíase é uma DST?

doença

Muitas pessoas, atualmente, por falta de orientação e informações reais, acabam achando que a candidíase é uma DST. Apesar de ser uma infecção genital que pode ser transmitida através das relações sexuais, a doença está relacionada com a queda de imunidade, podendo ser contraída tanto em homens quanto em mulheres.

Essa condição é provocada por fungos (Cândida albicans, geralmente) e apresenta características como: coceira na região genital, sensação de ardência, incômodo durante a relação sexual e um corrimento branco peculiar e espesso, nas mulheres, a vulva e a vagina ficam com aparência avermelhada e inchadas.

As lesões provocadas pela doença podem chegar até a região do períneo, ou seja, entre a vagina e o ânus. Por isso, é extremamente importante que homens e mulheres tenham o cuidado com sua saúde sexual em dia para que o parceiro não corra riscos de ser contaminado.

Dessa forma, se você deseja saber melhor sobre esse assunto, no qual muitos acreditam que a candidíase é uma DST, continue acompanhando esse artigo e confira todas as informações sobre essa infecção e como é importante se prevenir para não ter complicações.

Esclarecendo a dúvida se a candidíase é uma DST

organismos vivos

A monolíase, como também pode ser conhecida, é um tipo de infecção ocasionado por fungos, que atinge homens e mulheres, nas regiões íntimas. Apesar de ser transmitida pelo sexo, o que faz muitos acreditarem que a candidíase é uma DST, essa condição não pode ser considerada uma doença sexualmente transmissível, pois existem outros fatores que resultam em seu aparecimento.

Na grande maioria dos casos, a candidíase está relacionada com a queda da imunidade do organismo, muito provavelmente, pelo uso de antibióticos, anticoncepcionais, corticoides e imunossupressores, além disso, em mulheres grávidas, pessoas diabéticas, com algum tipo de alergia ou HPV também podem ter essa infecção aflorada.

Os sintomas em homens e mulheres são diferentes

Confira a seguir quais as características principais em cada sexo:

  • Em mulheres: coceira vaginal, corrimento esbranquiçado e com aparência leitosa, ardência, desconforto para urinar e dor nas relações sexuais.
  • Em homens: aparecimentos de manchas vermelhas na região do pênis, edema e lesões pequenas no formato de pontos, coceira e em situações mais agravantes pode causar distúrbios dermatológicos, gastrointestinais e também respiratórios.

Para realizar o diagnóstico da doença é preciso fazer um exame clínico, no ginecologista para as mulheres, que é feito através do Papanicolau ou no urologista para os homens. Após a confirmação da infecção, o médico irá recomendar qual tratamento é o mais indicado através das possíveis causas de contaminação.

Normalmente, o tratamento é feito a base de antimicóticos e pomadas antifúngicas, que são aplicados na região comprometida. Contudo, quando o caso é mais severo, os médicos costumam prescrever medicamentos por via oral e que demandam um tempo maior para tratar a doença.

Evitar a contração desse tipo de infecção

Dessa forma, para evitar a contração desse tipo de infecção, algumas recomendações são bastante válidas e ajudam a ter uma boa saúde íntima, confira a seguir quais são:

  • Busque ter uma alimentação e estilo de vida saudável;
  • Evite ao máximo o consumo de bebidas alcoólicas e uso de cigarro;
  • Se previna usando camisinha nas suas relações sexuais;
  • Tenha uma boa higiene íntima;
  • Não use roupas de material sintético, como calcinhas e cuecas e também o uso de calças, shorts e afins muito justos ao corpo;
  • Evite ao máximo o uso de absorventes internos e de papel higiênico que tenha perfume ou seja colorido.

Quando a pessoa está atenta para esses cuidados a contração desse tipo de doença se torna mínimo. Além disso, é extremamente importante seguir todas as orientações que seu médico recomenda, para que, assim, você tenha uma vida sexual saudável.

Pessoas que estão constantemente expostas

Agora, existem pessoas que estão constantemente expostas as crises de candidíase, que podem ser na vagina, pênis ou cutânea. Se essa situação ocorrer com frequência, em grande parte, a infecção pode ser intestinal, assim, as causas do problema são mais complexas.

Dessa forma, é imprescindível que se procure um médico especialista que possa fazer um diagnóstico mais detalhado do caso e identificar as possíveis origens dessa infecção. Se você já vivenciou a doença, algumas questões que envolvem seus hábitos alimentares devem ser repensadas, pois estas podem ser as causa do problema, como, por exemplo:

  • Ingestão de alimentos com alto teor de açúcar;
  • Alimentação desregrada e pobre em nutrientes;
  • Sistema imunológico fraco, favorecendo a gripes e resfriados constantes;
  • Problemas digestivos;
  • Problemas com ansiedade e estresse;
  • Dor de cabeça relacionada a ingestão de alguns alimentos específicos;
  • Uso de medicamentos regulares para tratamento de outras doenças;
  • Inflamações frequentes de garganta ou ouvido.

Essa são algumas perguntas comuns de serem feitas à pessoas que têm a infecção várias vezes seguidas. Com essa análise simples, já é possível entender as causa da doença. Apesar de ser muito difundido que a candidíase é uma DST, não caia nessa e faça a sua prevenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *